Últimas Notícias

Leia as principais notícias da Federação das Indústrias do Estado de Roraima e saiba mais sobre as ações que fomentam o empresariado do segmento industrial no Estado.

Junho de 2014
 
 

Madeira, Soja, ferro e aço são os produtos com maior índice de exportação, segundo a Balança Comercial de Maio

27 de junho de 2014

   A Federação das Indústrias de Roraima – FIER divulgou nesta semana a Balança Comercial do mês de Maio.  Foi apresentado um déficit de –US$ 159.834. Fazendo um comparativo com os anos anteriores, maio de 2013 apresentou déficit de (–­­US$ 230.442) e em maio de 2012 registrou-se superávit de US$ 901.428.  

                           

 EXPORTAÇÕES

 

   No mês de maio de 2014 foram exportados US$ 523.590, valor superior ao de abril deste ano (US$ 409.259), gerando uma diferença de US$ 114.331, correspondendo a 27,94% a mais no volume exportado. Em maio de 2014 a Madeira volta a aparecer na primeira posição, com valor de US$ 169.830, representando 32,44% das exportações; seguida pela Soja, com US$ 104.319 exportados, o que corresponde a 19,93%. Em terceiro lugar permanece Ferro e Aço, com US$ 43.183 exportados, com participação de 8,25%.

Os países para onde mais se exportou em abril de 2014 foram: Países Baixos/Holanda com US$ 169.830 (32,44%), seguido por Guiana com US$ 134.325 (25,66%) e, Taiwan (Formosa) com um volume de US$ 43.183 (8.25%), respectivamente.

 

IMPORTAÇÕES

 

   Em maio de 2014, as importações somaram US$ 683.424, o que representa um decréscimo de 44,85% (US$ 306.581) em relação abril deste ano, quando o volume importado foi de US$ US$ 990.005. Em maio de 2014 permanece em primeiro lugar com maior volume de importações Máquinas, Equipamentos de Informática e suas Partes com US$ 411.528, participando com 60,22% do total importado; seguido de Vidros e suas Obras com um volume de US$ 112.861, o que representa 16,51% das importações. Em terceiro lugar Produtos Cerâmicos (US$ 36.070), que no mês anterior não figurava entre os principais produtos importados, correspondendo a 5,28% das importações.

 

  No quadro dos países de onde mais se importou em maio de 2014, permanece na primeira colocação a China, com US$ 377.363 correspondendo a 55,22% das importações, aparecendo na segunda posição Alemanha (14,70%), com volume de US$ 100.457, em terceiro lugar a Venezuela com US$ 69.206, o que representa 10,13% do total importado.

FIER realiza apresentação em Audiência Pública do Conselho de Consumidores da Eletrobrás

26 de junho de 2014

   O Conselheiro da Federação das Indústrias de Roraima – FIER, vice-presidente do Conselho Temático de Meio Ambiente, Recursos Naturais, Infraestrutura e Energia – CTMAR e conselheiro titular do Conselho de Consumidores da Eletrobrás distribuição Roraima, Wanderkley Bittar participou no último dia 25, de Audiência Pública do Conselho, no auditório do SENAR.

 

   A audiência buscou obter subsídios, informações, sugestões, críticas ou propostas concernentes à representatividade das Entidades e dos Conselheiros, abordando os temas: Atendimento ao Consumidor, as Tarifas aplicadas e construção da nova metodologia de revisão das tarifas de energia elétrica, a partir de 2015, aperfeiçoamento da norma que regulamenta os Conselhos e a adequação dos serviços prestados pela Eletrobrás Distribuição Roraima.

 

   A FIER apresentou informações sobre a Classificação da Atividade Industrial: Agroindústria e Indústria, a história da indústria em Roraima, dados sobre as indústrias do Distrito Industrial  citando quantidade e setores em atividade, além de dados econômicos da indústria Roraimense, dados de consumo de energia em Boa Vista e as atividades e deliberações do CTMAR.

 

  Conselho de Consumidores - O Conselho de Consumidores da Eletrobrás Distribuição Roraima contempla a participação cinco classes: Rural, Industrial, residencial, Comercial e Poder Público. Foi instituído no dia 13 de abril de 1999 em atendimento ao ART. 13 da Lei nº 8. 631 de 04/03/1993 e as novas regras postas pela Resolução Normativa nº 451 de 27/09/2011 da Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL.

 

  É um órgão sem personalidade jurídica, de caráter consultivo. Compete ao Conselho manifestar-se formalmente acerca das tarifas de energia, da qualidade do fornecimento de energia elétrica, e cooperar com a distribuidora não apenas no desenvolvimento e disseminação de programas educativos destinados à orientação dos consumidores sobre racionalização do uso da energia elétrica, mas também na prestação de esclarecimentos à sociedade sobre os direitos e deveres inerentes à contratação do serviço.

 

  Mensalmente são realizadas reuniões onde são discutidos assuntos de interesse dos consumidores e participação dos conselheiros em evento técnicos promovidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica-ANEEL. Tem um conselheiro titular e um suplente, um presidente e vice-presidente eleito entre os conselheiros titulares, e uma Secretaria Executiva titular e uma suplente que além de secretariar os trabalhos do Conselho, atuam como elo de comunicação entre o Conselho e a Distribuidora. A representação no Conselho é de caráter voluntário e não remunerada, com mandato de dois anos podendo ser renovado a critério do Conselho.

Industriais discutem o desafio do líder sindical na representação do setor

13 de junho de 2014

   Empresários de diversos setores industriais ligados ou não à Federação das Indústrias de Roraima – FIER, participaram na noite do dia 10 da palestra “Desafios do líder sindical na representação do setor”, uma iniciativa da Confederação Nacional da Indústria – CNI por meio do Programa de Desenvolvimento Associativo - PDA. O facilitador da ação foi o engenheiro civil Roberto Soto Maior Karan, do Estado do Paraná.

 

   O objetivo da atividade foi de apresentar questões que motivam o reposicionamento dos sindicatos empresariais, ressaltando aspectos relevantes quanto aos desafios de promover a defesa de interesses do setor, a negociação coletiva e a prestação de serviços.

Entre os pontos destacados, os benefícios do associativismo, ambiente de negócios favoráveis à competitividade e condições favoráveis para a inovação das empresas. Diante desses pontos é necessário que haja um reposicionamento dos sindicatos, com a defesa dos interesses, negociação coletiva e prestação de serviços.

 

   Roberto destacou que os sindicatos precisam achar o ponto chave para atrair as empresas para dentro do sindicato e mostrar que ele é um local onde podem discutir, além dos pontos positivos, os pontos de melhorias de cada empresa. “A grande preocupação do empresariado hoje é com as empresas e com relação à produção para mantê-las funcionando. Agora chegou o momento de união para identificação das demandas empresariais, com as quais os sindicatos poderão auxiliar com soluções a curto, médio e longo prazo”, frisou.

 

   O vice-presidente do Sindicato da Indústria de Construção de Estradas, Pavimentação, Terraplanagens e Obras em Geral do Estado de Roraima - SINDICON, Thiago Coelho de Brito  destacou que o palestrante falou sobre todos os pontos que devem ser levados em consideração no que diz respeito ao gerenciamento de um sindicato. “A palestra foi muito produtiva, pois trouxe pessoas novas, membros e presidentes de sindicatos em processo de filiação. Antes o associativismo não era levado muito á sério e agora os sindicatos estão levando vários pontos em consideração e estão se aproximando da Federação para que esses pontos sejam debatidos e soluções sejam buscadas. O associativismo está presente em nosso sindicato e procuramos participar sempre dos eventos que a FIER proporciona e passar esse aprendizado para nossos associados”, enfatizou.

 

Currículo – Roberto Soto Maior Karan é Graduado em Engenharia Civil pela UFPR, empresário do setor metalmecânico e fundador da Associação de Microempresas do Paraná. Presidiu o Sindimetal-PR por oito anos e é membro da comissão de negociação do Sindicato desde 2000. É integrante do Conselho Temático de Relações do Trabalho e do Grupo de Apoio Sindical da FIEP/PR, com forte atuação junto a sindicatos industriais e empresas visando à preparação para negociações coletivas.

Presidente do SINDICONF viaja ao Mato Grosso do Sul para evento no ramo do vestuário

13 de junho de 2014

   No início deste mês a Diretora Primeira Secretária da Federação das Indústrias de Roraima-FIER e presidente do Sindicato das Indústrias de Confecção do Estado de Roraima – SINDICONF, Rosinete Damasceno Baldi, participou da reunião de Intercâmbio de Lideranças Setoriais da Indústria do Vestuário, realizada na Casa da Indústria em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

 

   Participaram do evento, 23 presidentes de sindicatos da indústria do vestuário de 18 Estados da Federação. A ação teve o objetivo de fortalecer a gestão dos sindicatos e o vínculo com o Sistema Indústria, gerando conhecimento e debate sobre as boas práticas de gestão das lideranças setoriais, além dos desafios do segmento nos campos de gestão sindical, negociação coletiva, defesa de interesses e prestação de serviços.

 

   Rosinete destacou que a reunião possibilitou uma troca de experiências muito importante com presidentes de sindicatos das regiões norte, nordeste, sul e sudeste e o principal ponto foi o foco no associativismo. “Nós debatemos muito a questão de trazer os empresários para dentro do sindicato e não apenas isso, mas também envolvê-los nas atividades do Programa de Desenvolvimento Associativo – PDA. Recebemos essa tarefa para pôr em prática e os resultados serão apresentados na próxima reunião que será realizada em Brasília, no mês de novembro”, completou.

Usina de beneficiamento de plásticos rígidos é instalada em Boa Vista

06 de junho de 2014

   Nesta sexta-feira, 06 de junho, a Federação das Indústrias do Estado de Roraima - FIER, o Consulado do Japão a Prefeitura de Boa Vista e o Conselho Municipal de Meio Ambiente, realizaram a cerimônia de instalação da Usina de reciclagem de plásticos rígidos como garrafão de água, garrafas PET e similares, no Aterro Sanitário de Boa Vista, localizado na BR-174 logo após o Anel Viário.

 

   O equipamento adquirido pela FIER com recursos obtidos junto ao Consulado do Japão será cedido em regime de Comodato para a UNIRENDA, por um período de 5 anos, em que a Federação será responsável pelo envio de relatórios de desempenho ao Consulado do Japão. Ao final desse período será realizada a doação do maquinário, passando-o definitivamente para a UNIRENDA.

 

   O Cônsul do Japão, Kazuo Yamazaki, acompanhou a cerimônia e disse que sempre haverá recursos para apoiar projetos como esse. “A introdução do maquinário é importante não só para o povo Roraimense como também para o Japão porque a matéria prima composta por plásticos e garrafas pet serão processadas, tratadas e vendidas pelo triplo do preço, tornando o processo economicamente viável. Esse é um projeto pioneiro que poderá servir de exemplo e onde poderão ser trazidas outras máquinas para tratamento de outro tipo de material encontrado no lixo”, completou.

 

   Além da elaboração do projeto de aquisição, a FIER também realizou as obras complementares da rede hidráulica para abastecer o equipamento, doou equipamentos de proteção individual para os cooperados e articulou o apoio do SESI e SENAI para programas de Saúde e Segurança no Trabalho, Projetos de Engenharia e Acompanhamento da Obra e Manutenção do Equipamento e cursos profissionalizantes.

 

   O Presidente da UNIRRENDA, Rogério Pereira da Silva, falou da satisfação em receber não só o maquinário mais todo o apoio da Federação das Indústrias. “Há muito tempo nós esperávamos por esse equipamento e com a chegada dele, agora nós vamos melhorar a condição de trabalho e também a nossa renda. E o que nos deixa feliz também é o fato de que vamos receber apoio do SESI e do SENAI, para realizar o nosso trabalho com segurança e qualidade”, declarou.

 

   A presidente em exercício da FIER Maria Luiza Campos destacou a importância deste dia na vida dos cooperados da Unirenda. “Acredito que o dia de hoje ficará marcado na vida de cada um desses homens e mulheres, que daqui tiram o sustento de suas famílias. Para muitos pode parecer que era apenas uma máquina que estava faltando, mas é muito mais que isso. Esse maquinário, adquirido por meio de esforços da FIER em parceria com o Consulado do Japão, vai fazer toda a diferença na realização do trabalho desses profissionais, agregando valor e qualidade ao trabalho realizado por eles”, enfatizou.

 

   A prefeitura de Boa Vista, por meio do Conselho Municipal de Meio Ambiente aportou recursos para a reforma das instalações do galpão onde os cooperados irão trabalhar, melhorias da rede elétrica, hidráulica, setor administrativo e refeitório. Além disso, a sensibilização dos catadores e o apoio por meio de projetos sociais também estão a cargo do município.

Usina de beneficiamento de plásticos rígidos será instalada em Boa Vista

05 de junho de 2014

   Nesta sexta-feira, 06 de junho, às 9h30 no Aterro Sanitário de Boa Vista, localizado na BR-174 logo após o Anel Viário, será realizada a cerimônia de instalação de uma Usina de reciclagem de plásticos rígidos como garrafão de água, garrafas PET e similares.

 

   O equipamento será cedido em regime de Comodato para a UNIRENDA, por um período de 5 anos, em que a FIER será responsável pelo envio de relatórios de desempenho ao Consulado do Japão. Ao final desse período será realizada a doação do maquinário, passando-o definitivamente para a UNIRENDA. Isto porque a Usina foi adquirida pela FIER com recursos obtidos junto ao Consulado do Japão.

 

  A ideia surgiu no Conselho Temático de Meio Ambiente, Recursos naturais, Energia e Infraestrutura, coordenado pela entidade, em função da vigência da Lei 12.305/2014 que entrará em vigor em agosto deste ano e que determina o fechamento dos lixões e a proibição de pessoas trabalhando ou morando nas áreas de aterro sanitário. O objetivo foi contribuir para a organização e estruturação dos catadores de materiais recicláveis que compõem a cooperativa UNIRENDA, implantando um modelo de negócio que melhore as suas condições de vida, trabalho e renda.

 

   Além da elaboração do projeto de aquisição, a FIER também realizou as obras complementares da rede hidráulica para abastecer o equipamento, doou equipamentos de proteção individual para os cooperados e articulou o apoio do SESI e SENAI para programas de Saúde e Segurança no Trabalho, Projetos de Engenharia e Acompanhamento da Obra e Manutenção do Equipamento e cursos profissionalizantes.

 

   A prefeitura de Boa Vista, por meio do Conselho Municipal de Meio Ambiente aportou recursos para a reforma das instalações do galpão onde os cooperados trabalham e a máquina está instalada, tornando possível garantir o seu melhor funcionamento, as melhorias da rede elétrica, hidráulica, setor administrativo e refeitório. Além disso, a sensibilização dos catadores e o apoio por meio de projetos sociais também estão a cargo do município.

 

  Sem a Usina a UNIRENDA vende os plásticos prensados e sujos por R$ 0,60/Kg para que em Manaus eles sejam lavados, separados e triturados. Com o novo equipamento instalado será possível lavar e triturar até 200 Kg/ hora de plásticos por dia, separados por cor. Os “flakes” poderão ser comercializados pela cooperativa diretamente com os fornecedores no Amazonas ao preço de R$ 2,20/kg.

 

Membros de sindicatos patronais participam da construção do planejamento estratégico 

04 de junho de 2014

    A Federação das Indústrias de Roraima – FIER, busca de forma atuante auxiliar os sindicatos filiados e em processo de filiação a organizar a estrutura de cada entidade. No dia 28 de maio o Sindicato das Indústrias de Grãos do Estado de Roraima – SINDIGRÃOS realizou sua reunião de planejamento estratégico. 

 

    No dia 29 de maio foi a vez do Sindicato das Indústrias de Reparação de Veículos do Estado de Roraima – SINDIREPA. Participaram do encontro os presidentes de cada sindicato: João da Silva do SINDIREPA e Izabel Itikawa do SINDIGRÃOS, além dos demais dirigentes das entidades. 

 

     Nesta quarta-feira, 04 de junho, foi a vez do Sindicato da Indústria de Construção de Estradas, Pavimentação, Terraplanagens e Obras em Geral, do Estado de Roraima - SINDICON. Os membros estiveram reunidos na sede do Sindicato, para discutir as melhorias do plano de ação, uma vez que este já existe há cinco anos. 

     

     O facilitador das açõers foi o consultor da CNI Fabiano di Cristo. As ações de Planejamento estratégico fazem parte do Programa de Desenvolvimento Associativo - PDA, uma iniciativa da CNI em parceria com o SEBRAE.

 

 

Empresários do setor gráfico debatem ações do Núcleo de Inovação em 2014

04 de junho de 2014

   A Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), articulada e liderada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), tem por desafio fazer da inovação um tema permanente da direção das empresas brasileiras.

 

   A MEI cresce como um movimento que conta com o apoio dos líderes empresariais brasileiros das principais associações industriais e das Federações Estaduais da Indústria, num

esforço inédito de mover a agenda de inovação, adequando-a à realidade empresarial.

   

    Seu objetivo estratégico é auxiliar a organizar um consenso capaz de dar um forte apoio privado à Iniciativa Nacional pela Inovação (INI), fórum estabelecido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI), que reproduza, em um novo patamar, o êxito alcançado no passado pelo Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade (PBQP). 

    Em paralelo, o resultado dessa mobilização deve levar a um aprimoramento das políticas públicas, que permita focalizá-las nas reais necessidades da indústria. Foi o que debateram 10 empresários do setor gráfico, na tarde do dia 27 de maio na sala de reuniões da FIER. De acordo com o Coordenador Técnico da FIER Ivo Gallindo, essa mobilização dos empresários vem se fortalecendo a cada dia. “Os empresários contam com o apoio da CNI e das Federações dos Estados, e com isso as ações de inovação serão implementadas de forma eficiente”, destacou.

               

    Dentro dessa estrutura da rede da MEI, o Núcleo de Inovação de Roraima vem com o papel estratégico de estimular a inovação nas empresas e de contribuir para o alcance dos objetivos e metas da MEI, de forma sistêmica e coordenada. A Técnica do Núcleo de Inovação Andréia Bentes, frisou que neste primeiro momento foi feita a reunião para o segmento gráfico e que os outros segmentos também serão beneficiados. “Nós temos uma agenda de trabalho que prevê metas de ações até 2016, então teremos esse tempo para trabalhar com todos os segmentos da indústria atendidos pela FIER”, completou.

   

    O Empresário Manoel Idalino levantou a questão da mão-de-obra qualificada para as empresas. “Muitas vezes nós temos que preparar os nossos colaboradores do zero. Não recebemos essa mão-de-obra qualificada o que dificulta nosso trabalho e ainda quando são qualificados por nós, os perdemos para o mercado ou para outras empresas”, enfatizou.

Em 2014 estão previstas nas ações do Núcleo de Inovação, a articulação empresarial para definir metas que envolverão empresários e outras instituições de educação e pesquisa no sentido de consultorias, capacitações e conhecimento. O Núcleo não trabalhará sozinho, mas sim com parcerias que busquem viabilizar esse ambiente de inovação.

 

 

Sindigrãos realiza reunião sindical na sede da FIER

04 de junho de 2014

    Os membros do Sindicato das Indústrias de Grãos do Estado de Roraima – SINDIGRÃOS se reuniram na noite do dia 29 de maio, na sala de projeções da FIER para debater o regulamento do ICMS do decreto 4.335 de 03 de agosto de 2001 que dispõe sobre crédito fiscal e presumido, e a lei nº 282 de 27 de março de 2001 que dispõe sobre a isenção e crédito presumido de ICMS aos produtos agrícolas em estado natural.

   

    O contador José Soares Belido esteve presente na reunião para dirimir dúvidas quanto ao entendimento dos documentos. Como deliberação, uma 

 

 

 

    

solicitação à superintendência da FIER para uma consultoria com um profissional especializado para auxiliar no esclarecimento da lei e de como poderá ser aplicada no âmbito administrativo nas empresas.

 

     A presidente do Sindigrãos Izabel Itikawa destacou que a reunião trata-se nada mais do que associativismo. “É um momento onde debatemos as problemáticas das nossas empresas e buscamos soluções”, frisou.

 

 

 

Balança comercial do mês de abril é divulgada pela FIER

04 de junho de 2014

    O saldo da Balança Comercial no mês de abril de 2014 apresentou déficit de –US$ 580.746, assim como aconteceu em março de 2014 (–US$ 296.702), segundo dados divulgados pela Federação das Indústrias de Roraima - FIER. Em comparação com o mesmo período do ano passado foi verificado saldo negativo, com déficit de (–US$ 98.473).

 

EXPORTAÇÕES

 

     No mês de abril de 2014 foram exportados US$ 409.259, valor superior comparando-se ao das exportações de março deste ano (US$ 225.074), uma diferença de US$ 184.185 a mais no volume exportado, o que corresponde a 81,83% de crescimento.

     Em abril de 2014 a soja – responsável por um grande volume de exportações em janeiro e fevereiro de 2014, somando US$ 15.827.419 –, volta a aparecer na primeira posição, com valor de US$ 142.544, representando 34,82% das exportações; seguida por Madeira, com US$ 118.674 exportados, o que corresponde a 28,99%. Em terceiro lugar aparece Ferro e Aço, com US$ 65.998 exportados, com participação de 16,12%.

     Os países para onde mais se exportou em abril de 2014 foram: Turquia com um volume de US$ 108.080 (26,40%), seguido por Guiana com US$ 75.946 (18,55%) e Países Baixos/Holanda com US$ 66.257 (16,18%), respectivamente.

 

IMPORTAÇÕES

 

    Em abril de 2014, as importações somaram US$ 990.005, o que representa um acréscimo de 89,73% (US$ 468.229) em relação ao mês de março, quando o volume importado foi de US$ 521.776. Comparando-se ao ano de 2013, onde o mês de abril apresentou importações de US$ 636.466, houve uma alta de US$ 353.539, o que representa 35,71% a mais este ano.

     Em primeiro lugar nas importações com maior volume de importações aparece máquinas, equipamentos de informática e suas Partes, com 53,8% do total importado; seguido de  máquinas, aparelhos e materiais elétricos e suas partes, o que representa 11,46% das importações. Vidros e suas obras aparece em terceiro lugar, com o equivalente a 7,76%.

    No quadro dos países de onde mais se importou em abril de 2014, permanece na primeira colocação a China, com US$  659.327, ou seja, 66,59% de participação, aparecendo na segunda posição Hong Kong (16,40%), com volume de US$ 162.439,  ficando o Canadá em terceiro lugar com US$ 65.600, o que representa 6,62% das importações.

 

 

 

 

 

 

 

Mais notícias FIER para você...

2014

2013

Av. Benjamin Constant, 876 Centro - CEP 69 301 020
Boa Vista - Roraima
Email: gab.fierr@sesi.org.br
Site: www.fier.org.br
Tel: (95) 4009 5367
Fax.: (95) 3224 1557

Av. Brigadeiro Eduardo Gomes, 3710 -Aeroporto - CEP 69 310 005

Boa Vista - Roraima

Email: falecom.rr@sesi.org.br

Site: www.sesirr.org.brTel: (95) 4009-1848Fax.: (95) 4009-1805

Av. dos Imigrantes, 399

Asa Branca - CEP 69 312 296 Boa Vista - Roraima

Email: senai@rr.senai.br

Site: www.rr.senai.br

Tel: (95) 2121 5050

Fax.: (95) 2121 5081

Av. Capitão Júlio Bezerra, 363
Centro - CEP 69 301 410
Boa Vista - Roraima
Email: sec@ielrr.org.br
Site: www.ielrr.org.br
Tel: (95) 3621 3570
Fax.: (95) 3624 7320

© 2013 Sistema Indústria Roraima - FIER